segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Menina de 3 Anos Vence Cancro da Mama


Aleisha Hunter tinha uma infância igual à das outras meninas de três anos. Até ao dia em que as dores fortes que sentia num inchaço no peito esquerdo, que a impediam de dormir, a levaram ao Hospital Pediátrico de Toronto.
Após vários exames, os médicos diagnosticaram cancro na mama à menina canadiana. O nódulo já atingia dois centímetros e tinha surgido cinco meses antes, em Dezembro de 2008, quando Aleisha tinha apenas dois anos. "Não consegui aceitar o diagnóstico", recorda a mãe, Melanie. Os médicos decidiram avançar para a mastectomia e para a remoção de 16 nódulos linfáticos. Agora, aos quatro anos, Aleisha está recuperada e já tem noção do que sofreu. "Tive cancro na minha maminha e os médicos trataram-na. Sei que o cancro pode levar algumas pessoas para o céu, mas estou melhor agora", disse a menina, citada pelo jornal britânico ‘News of the World’. Aleisha tornou-se na mais jovem vítima de cancro da mama.
Notícia do Jornal Correio da manhã

5 comentários:

  1. Tão pequenina!!
    O importante é mesmo vencer...
    Bjnho amiga e um óptimo 2011 para ti com mt saúde e alegria

    ResponderEliminar
  2. Possas, nunca imaginei que tal coisa pudesse acontecer.
    Ainda bem que detectaram, e que conseguiu vencer.
    um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Olá.

    Um lindo e saudável fim de semana.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  4. Olá,
    Chamo-me Isabel Monteiro, sou aluna do mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde na Universidade da Beira Interior.
    Estou a desenvolver a minha tese de mestrado com mulheres que tenham actualmente ou que tenham já passado por um diagnóstico de cancro de mama, sendo a investigação subordinada ao tema "satisfação sexual e satisfação no relacionamento em mulheres com cancro de mama".

    Peço a sua colaboração na participação ou na divulgação do link da investigação:

    https://spreadsheets.google.com/viewform?hl=pt_PT&formkey=dFNzaDRueU8ydjIzcXdsU0JNeFAwT1E6MQ#gid=0

    Obrigado,
    Isabel Monteiro

    ResponderEliminar